domingo, 11 de maio de 2014

De onde vem o seu dinheiro?

Tomando agora um viés menos contábil e mais econômico do blog, falarei hoje sobre de onde vem o seu dinheiro. Talvez muitos fiquem surpresos ou impressionados.

Bem, para começar esse assunto, acho interessante falar sobre a Europa de alguns séculos atrás...

Naquele tempo, as pessoas faziam suas negociações usando ouro ou prata, compravam bens com o uso destes metais preciosos. Só que esse método de pagamento apresenta alguns problemas: comprar grandes bens (imóveis, navios, animais) exigia carregar grandes quantidade de ouro, o que por sua vez era bastante incômodo e altamente inseguro.

Como solução, as fundições de ouro aceitavam guardar o ouro de depositantes (inclusive pagavam-os por isso) e davam a estes recibos de papel atestando a propriedade do ouro, rapidamente as pessoas começaram a usar estes recibos como forma de pagamento, originando assim o papel moeda.
Depois que este modo cômodo de comprar e vender foi criado, as pessoas pararam de ir resgatar seus depósitos em ouro, fazendo-os com uma menor frequência e as fundições deram-se de conta que podiam emprestar o dinheiro depositado, emitindo mais recibos de ouro sem ter aquele valor em seus cofres.

Fantástico não?! Ou seja, se o fundidor recebesse um depósito de \$500 em ouro, ele emitia dois recibos de \$500, um para o depositante e outro para um tomador de empréstimo. 
Agora voltando ao nosso tempo atual, esse método de criação de dinheiro não mudou muito desde aquele tempo, só hoje existe um nome bonito para isso: Reserva Fracionária.

E o que é a Reserva Fracionária? É um percentual que representa o quanto de cada depósito tem ser mantido no banco a fim de garantir o suprimento de dinheiro, no caso do Brasil (não consegui confirmar a informação) é de 38%, ou seja a cada R\$100 depositado em um banco R\$38,00 ficam em posse dele. O restante, R\$62,00, é emprestado. E caso o tomador deste empréstimo deposite o dinheiro novamente 38% deste valor ficam como depósito no novo banco (R\$23,56) e o resto R\$38,44 é emprestado outra vez esta sucessão de depósitos e empréstimos acontece até atingirmos o valor de 2,63157 vezes o depósito original (1/0.38), que representa o Multiplicador monetário.
Interessante, quer dizer então que o banco cria dinheiro? E não tem garantia nenhuma, ele simplesmente cria?
É, é isso mesmo, simplesmente cria! Sem nenhum lastro, nem garantias nem nada. 
Então quer dizer que os bancos podem criar dinheiro infinito?!
Não, também não é assim. A reserva fracionária é determinada pelo Banco Central, assim como a quantidade de dinheiro em circulação! Em suma, o Banco Central cria o dinheiro baseado, por exemplo, em depósitos de ouro, títulos do governo federal e permite que os bancos emprestem uma quantidade 2,63157 vezes maior do que o dinheiro lastreado, entretanto cada vez que ocorre um saque, a quantidade de dinheiro disponível para os bancos é reduzido no valor do saque, ou seja, se você sacar R\$1000,00 do banco, os bancos deverão reduzir o total de empréstimos em R\$2631,57.

Bem, e a pergunta mais lógica a se fazer agora é: "E se todos sacarem seu dinheiro?! O que acontece?".

Insolvência dos bancos, eles não teriam como te pagar, indo a falência. Esse fenômeno se chama "Corrida aos bancos", este fato acontece quando as pessoas acreditam que os bancos não terão como devolver seu dinheiroo e então, para evitar que fiquem sem, vão até o banco sacar e quando chegam lá percebem que todos tiveram a mesma ideia e o que mais temiam acontece: o banco não tem mesmo como pagar. É uma profecia autorrealizável. Este problema aconteceu nos EUA em 1907 e gerou um grande caos na economia.
Como solução, o governo juntamente com os bancos criaram a figura dos Bancos Centrais, que é considerado o Emprestador de Última Instância (particularmente prefiro o termo em inglês, Lender of Last Resort)que na eventualidade de uma corrida aos bancos forneceria essa quantidade de dinheiro as pessoas que querem seus resgates.

Inclusive esta é uma maneira de levar a falência o atual sistema financeiro, incentivar todos a sacarem seu dinheiro nos bancos (uma corrida aos bancos) e logo em seguida depositar todo o dinheiro de volta, causando uma inflação monstruosa ao longo do país e ocasionando um caos generalizado. Mas, felizmente, isso não acontecerá pois as pessoas são boas e legais com o governo e os bancos não tem a menor ideia de como um banco funciona.

"Ignorância é uma Benção"
Ao menos para o sistema financeiro...